terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Tendência ou modismo

Apesar de fundamental para as decisões empresariais, ter a certeza de que alguma novidade será efetivamente uma tendência de consumo ou de que não passará apenas de um modismo é algo extremamente difícil e complexo. 

Um simples modismo não requer investimentos muito altos em recursos como maquinários, estrutura de distribuição e de vendas, visto que passará em pouco tempo. 
Já uma tendência necessita que a empresa se estruture, sob o risco de não atender à demanda e/ou permitir que a concorrência se estabeleça no novo mercado. 
Não existem fórmulas infalíveis para essa detecção e se espelhar no que aconteceu em outros países, por exemplo, não é garantia de acerto, pois as características de mercado, por mais semelhantes que possam parecer, nunca serão iguais. 
Sendo assim, a utilização de estudos, o acompanhamento detalhado do mercado e a elaboração de cenários que permitam agilidade na reação aos eventuais desvios de rotas são as melhores formas de minimizar os erros de avaliação.



Dentro do segmento esportivo o mesmo processo acontece e aqui vamos abordar duas situações:

Modalidades esportivas – A existência de ídolos e bons resultados internacionais auxiliam bastante o crescimento da popularidade de dada modalidade, visto que aumenta o número de praticantes, da cobertura da mídia e, consequentemente, do número de patrocinadores. 
No Brasil, vimos o Voleibol se tornar o 2º esporte do país e manter um desenvolvimento bastante consistente, por outro lado, o Tênis após o aparecimento de Guga Kuerten teve um crescimento significativo , mas  que não conseguiu sustentar. 
Claro que os aspectos ligados à gestão influenciaram o processo descrito acima.

A outra situação diz respeito às vendas de camisas de times de futebol. 
Esse mercado costuma ter uma política de produção e distribuição que exige uma antecedência de quase um ano para os pedidos dos varejistas.
É sabido também que o desempenho do time tem forte influência na venda, aliás, muito mais do que a beleza ou não da camisa, até porque, todo torcedor sempre achará lindo o manto que representa sua paixão. 
Diante disso, o varejo passa a ter o mesmo problema que serve de tema para esse artigo. 
Será que o time que está bem e vice-versa no momento da pré-compra se manterá (tendência) ou aquilo não passa de uma fase (modismo)?
Uma decisão errada quanto a esse questionamento leva à falta de produtos ou ao estoque excessivo.

Um bom exemplo para ilustrar essa situação é o que vem acontecendo com o Fluminense, campeão brasileiro de 2012, e que vem sendo chamado como o time da moda, o que na verdade é um erro.
Seus bons resultados nos últimos anos já permitem considerá-lo como uma tendência, que se traduz também através dos sucessivos recordes de vendas de camisas e demais produtos oficiais.


Nenhum comentário:

Postar um comentário