terça-feira, 2 de julho de 2013

As marcas esportivas das seleções


Um estudo da Jambo Sport Business - http://www.slideshare.net/jambosb/marcas-esportivas-das-selees-de-futebol-2013 - identificou os fornecedores esportivos das 209 seleções que compõem o ranking FIFA e as supostas estratégias de atuação das principais marcas.


Ao todo, 14 equipes (6,7%) não possuem fornecedor de material esportivo, enquanto 61 (29,2%) são supridas pela Adidas, 29 (13,9%) pela Puma e 27 (12,9%) pela Nike.

Completa o ranking das cinco principais marcas, Umbro e Lotto com 9 seleções cada.

A grande maioria das empresas de material esportiva considera fundamental para sua operação, ser fornecedora de, pelo menos, um dos três clubes de maior torcida naquele país e da seleção nacional.
Ser o fornecedor de um dos clubes de massa propicia maiores vendas, essas, porém, ficam restritas a torcedores daquele time no país, ou simpatizantes em outras partes do mundo, desde, é claro, que haja distribuição global.
Já no caso de "seleção", os uniformes têm aceitação total no próprio país e dependem basicamente do desempenho da equipe, do poder aquisitivo da população e da cultura esportiva do país, pois caso o país não tenha o futebol como um dos esportes mais populares, a oferta desses produtos é prejudicada.

Dentro desse contexto é possível deduzir que:

A Adidas, mesmo líder absoluta no geral e na maioria dos continentes, divide a liderança quando se avaliam as 10 seleções melhores rankeadas, o que pode denotar uma política mais voltada à quantidade do que outras marcas.

A Nike, embora também foque o aspecto quantidade, parece ser mais criteriosa na formação de seu portfólio, de modo a ter proporcionalmente presença bem marcante nas seleções mais tradicionais e, principalmente, nas seleções dos países com maiores PIBs e mais populosos. 

Ainda, entre as três grandes, temos a Puma, que patrocina um número de seleções superior ao da Nike, porém de países menos expressivos em termos de tradição, população e tamanho do PIB.

Também é possível verificar que algumas empresas escolhem continentes específicos para focarem seus objetivos de quantidade de seleções: Puma na África, Umbro na Europa e Lotto na Oceania exemplificam bem essa afirmativa.

Por fim, vale ressaltar que, além de vendas significativas, as empresas de material esportivo visam também a exposição de suas marcas e a associação com conceitos que traduzam seu posicionamento mercadológico, os quais podem estar ligados, entre outros, à vitória, superação ou até mesmo à característica na sua prática, como o "futebol brasileiro joga bonito" por exemplo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário