quarta-feira, 30 de abril de 2014

As lições de Gabo, até no marketing

Não é fácil desenvolver algum texto sobre Gabriel García Márquez num blog de marketing, mais difícil ainda escrever sobre esse excelente escritor utilizando o esporte como tema, quase impossível explorar o marketing aplicado ao esporte tendo como foco o autor de obras como “O amor nos tempos do cólera”, “Crônica de uma morte anunciada” e “Cem anos de solidão”.

Mas o esforço de pesquisar sobre sua vida e prestar uma homenagem ao colombiano Prêmio Nobel de Literatura vale qualquer sacrifício, mesmo que o assunto fique um pouco fora da proposta do blog.

A relação de García Márquez com o futebol pode parecer um pouco estranha para os fãs do esporte, isso porque somente aos 23 anos, ele se rendeu a assistir um jogo e escolheu o time para torcer. Foi na partida em que o Junior Barranquilla, time que adotou, venceu o Millonarios por 2 a 1.
De fato é bastante raro encontrar alguém que tenha se tornado torcedor de um clube aos 23 anos, porém pesquisas apontam que 25% da população brasileira não torce para nenhum clube.
Ou seja, há um significativo mercado a ser conquistado, se é que conquistável.

Mas como atingir esse público, ciente de que a opção pelo time de futebol se dá nos primeiros anos da infância e, principalmente, sob influência de familiares?
Ajuda nessa reflexão um trecho de García Márquez no texto "El Juramento": "O primeiro instante de lucidez em que me dei conta de que tinha virado um torcedor intempestivo foi quando percebi que durante toda a minha vida eu tive algo do qual sempre me orgulhei e que agora me incomodava: o senso do ridículo."

Mas como fazer alguém abandonar uma opção de vida da qual se orgulha?
Guardadas as devidas proporções, seria como fazer um consumidor que se orgulha de “não usar certas categorias de produtos”, tais como cosméticos para homens, passar a usá-los no dia-a-dia.
Vale comentar que o consumo brasileiro desses produtos cresceu mais de 150% em 5 anos e que, anteriormente, os homens restringiam suas compras a espuma de barba, loção pós-barba e shampoo anticaspa, quando muito. Hoje já é possível encontrar cosméticos voltados exclusivamente a esse público, tais como sabonetes, protetores solar, shampoos e até cremes hidratantes.
As causas dessa revolução se explicam com uma única palavra: Marketing, cuja definição enunciada por Robert Haas, elucida bem o fenômeno: "Processo de descoberta e interpretação das necessidades e desejos do consumidor para as especificações de produto e serviço, criar a demanda para esses produtos e serviços e continuar a expandir essa demanda".
Trazendo para o esporte, mais precisamente o futebol, é de suma importância descobrir os desejos daquele público que não torce por algum time, para daí criar “produtos/serviços” que satisfaçam eventuais necessidades, as quais, talvez, eles mesmos não tenham identificado.
Nesses casos, certamente a experiência de ir ao estádio, ou simplesmente a sensação de fazer parte de algum grupo, terão papéis fundamentais.
Aproveitando uma frase do escritor homenageado: “Tudo é uma questão de despertar sua alma”.
E mais, após a conquista do cliente, esse terá uma fidelidade invejável, pois mesmo que resultados ruins ocorram, a troca por outro é inegociável, ainda mais na idade adulta.

Por fim, outra frase de Gabo, essa sem relação com o texto, mas que vale pela beleza: “Lembre-se, é fácil esquecer para quem tem memória...
Difícil esquecer para quem tem coração...”




2 comentários:

  1. Excelente escolha sua de homenagear esse fantástico escritor que nos fará uma tremenda falta..

    ResponderExcluir