terça-feira, 23 de agosto de 2011

Esporte de participação

O esporte por definição pode ser enquadrado em três distintas manifestações: 

Desporto educacional - cujo público deve ser o de alunos matriculados em instituições de ensino. 
Desporto de alto rendimento - cuja finalidade é a obtenção de resultados, segundo regras rigidamente definidas. 
Desporto de participação - que se caracteriza pela prática voluntária e "compreende as modalidades esportivas praticadas com a finalidade de contribuir para a integração dos praticantes na plenitude da vida social, na promoção da saúde e educação e na preservação do meio ambiente"

Não tenho dúvidas em afirmar que entre as três manifestações, essa última é a mais democrática, pois não coíbe a participação de ninguém, além de quebrar mitos acerca de supostas "superioridades" genéticas. 
Se observarmos a chegada de uma maratona ou mesmo de um Ironman nos depararemos com uma grande quantidade de pessoas absolutamente comuns, semelhantes em sua complexão aos vizinhos de sua rua ou aos seus colegas de trabalho. 
Todos esses finalistas, no entanto, apresentam uma grande diferença dos “vizinhos” e “colegas” utilizados como parâmetro, a disciplina de se engajarem num objetivo. Mais fácil para uns do que para outros, mas sempre, um desafio. 

Feitos os devidos esclarecimentos sobre essa forma de manifestação, abordaremos aqui o Desporto de Participação sob um foco mais voltado aos aspectos mercadológicos do esporte. 

As corridas de rua talvez sejam o melhor exemplo desse conceito, pois se trata de um fenômeno mundial, no qual o número de praticantes cresce significativamente, o que traz na sua esteira inúmeras fontes de receitas. 
Essas provas conseguem ainda proporcionar ao participante, a oportunidade de estar competindo  junto a atletas de alto rendimento, mesmo que durante o percurso seja impossível avistá-los. 
A grande maioria dos participantes tem como objetivos a busca da satisfação, a promoção da saúde física e mental, uma melhor qualidade de vida e, por que não dizer, um desafio pessoal, seja esse na busca de uma melhor performance ou na conclusão de uma competição desafiadora. 

Dentro desse contexto são peças fundamentais para o fomento da atividade esportiva e do aquecimento da economia.
Abaixo relacionamos as atividades demandadas e seus respectivos beneficiários.
  • aquisição de equipamentos esportivos - indústria e comércio.
  • inscrições para competições - agências de marketing esportivo, organizadores de eventos e sua cadeia de fornecedores.
  • busca por orientação técnica - treinadores especializados na modalidade, academias, médicos, fisioterapeutas, nutricionistas e afins.
  • viagens para provas - companhias aéreas, hotéis, operadores de turismo e comércio nas sedes dos eventos.
  • confiança em quem acredita no esporte - patrocinadores.
  • impostos - governo.
Outra importante observação ao desporto de participação diz respeito ao aspecto "faixa etária", pois enquanto o desporto educacional é voltado aos jovens e o desporto de alto rendimento é voltado para os que se situam em idades que lhes garantem competitividade, o desporto de participação é franqueado a pessoas de qualquer idade, vide a quantidade de competições voltadas ao público máster de diversas modalidades esportivas. 
Tal fato contempla um universo maior de pessoas, essas, em tese, melhores estabelecidas em termos financeiros. 

Portanto, além dos aspectos sociais que o desporto de participação proporciona à população, esse, se bem trabalhado sob um viés de marketing, pode ser uma extraordinária fonte de lucros para os envolvidos nessa cadeia de negócios.


2 comentários:

  1. Amei, estava precisando seber sobre esporte de participação para uma apresentação escolar e estava me sentido insegura, mas, agora estou preparada, e graças a voces! Obg.

    ResponderExcluir
  2. Fico feliz em ter ajudado.
    Visite sempre o blog.

    ResponderExcluir