terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Athletic Bilbao, um case de uma causa

Ainda que de forma instintiva, o Athletic Bilbao é um dos melhores cases de fortalecimento de identidade de um clube de futebol, o que, consequentemente, lhe confere um posicionamento bastante interessante perante o mercado. 

Como já foi abordado em outros artigos, a estratégia de querer “ser tudo para todos” é totalmente ineficaz, além de inviável. 

Daí a razão de trabalhar a segmentação e focar um público-alvo. 

Evidentemente, a forma de ser do Athletic de Bilbao não levou em consideração os conceitos de marketing, até porque, a defesa da causa basca transcende, nesse caso, a tudo. 

No entanto, vale conhecer um pouco da forma de ser desse clube e refletir sobre a estratégia de focar nichos de mercado.

O Athletic de Bilbao, assim como grande parte dos principais clubes de futebol do mundo foi fundado por britânicos estabelecidos em Bilbao e por jovens recém-chegados da Grã-Bretanha, para onde tinham ido estudar.
Daí a origem do nome, que na época da ditadura do General Franco (1939-1975), teve que ser alterado para Club Atlético de Bilbao.

Foi justamente a oposição à opressão franquista que fomentou ainda mais todo o nacionalismo do País Basco, uma região histórico-cultural localizada no extremo norte da Espanha, extremo sudoeste da França, cortada pela cadeia montanhosa dos Pirenéus e banhada pelo Golfo de Biscaia.
A região basca tem uma cultura própria, sobretudo pela língua, o euskara e sustenta um movimento nacionalista desde fins do século XIX. 

No início, só podiam jogar pelo Athletic aqueles que tivessem nascido na província de Biscaia, posteriormente passou a aceitar jogadores das demais províncias bascas. 
Mais tarde foi facultada a presença de jogadores estrangeiros que tivessem origens bascas até chegar à situação atual, onde também se permite a presença de atletas que, mesmo sem tais origens, tenham sido criados dentro de sua cultura. 
Essa evolução na liberalidade das restrições também ocorreu no que tange aos patrocínios. 
Durante muito tempo a camisa da equipe não ostentava nenhum patrocínio, nem possuía fornecedores globais de material esportivo, afinal, só lhes interessava atender a população de suas províncias. 
Em 2004-2005, a equipe estampou na camisa a marca do governo basco com a mensagem “Euskadi”, que significa Pátria Basca. 
CAMISA 3 COM AS CORES DA BANDEIRA BASCA
Até que em 2008 aceitou o patrocínio da Petronar, uma empresa de petróleo da região, o que provocou protestos por parte dos mais radicais.
Seus maiores rivais no futebol são:
Real Madrid, time do General Franco, o que por si só já explica a rivalidade;
Real Sociedad, também do País Basco, mas que aceita estrangeiros em sua equipe;
Barcelona, que apesar de ter sua cultura Catalunha também discriminada por Franco, era a equipe que disputava os títulos espanhóis com o Athletic nas décadas de 30 e 40. 

Não restam dúvidas que atitudes mais flexíveis poderiam colocar o Athletic de Bilbao em outro patamar, tanto em termos financeiros como esportivos, mas certamente afetaria o principal objetivo de sua existência: Fortalecer a identidade basca, fazendo do time a representação de seu povo.


Um comentário:

  1. Idel Halfen,
    Acho que esse foi o artigo que mais gostei de ler. Educativo como sempre. Muito bacana vc ter inserido o desenvolvimento do clube no processo histórico. Acho importante essa abordagem, mesmo tendo como foco as questões de Mkt. Conhecer o passado nos ajuda a nos reconhecer no tempo presente e nos impulsiona a pensar no futuro. Abraço, Nira Lima

    ResponderExcluir